HTML5 não é Flash

Estou muito feliz com o espaço que o HTML5 vem ganhando ultimamente. Através dele as pessoas estão COMEÇANDO dar o devido valor ao client-side. Vejo muitos tweets com artigos e novidades do HTML5, mas ainda vejo muitas pessoas confusas sobre o que realmente é o HTML5. A maioria desses tweets são comparações como se o HTML5 fosse o novo Flash, o que não é verdade.

O HTML5 pode sim fazer muita coisa que hoje é feito erroneamente com o Flash, mas tem muitas outras funcionalidades interessantes e as pessoas devem ver isso. Antes de seguir o post, gostaria de desabafar um pouco explicando o porque mencionei a palavra “erroneamente”:

Na minha visão o Flash foi feito para rodar aplicações isoladas e independentes, como por exemplo uma calculadora ou banners – para isto ele é muito bom, mas para sites inteiros como é usado em alguns casos hoje em dia não faz sentido nenhum. Ele é muito limitado em diversas questões como acessibilidade, SEO, usabilidade – O Flash não foi preparado para a evolução e para provar isso veja palavras do visionário Jobs falando sobre aparelhos touch:

O Flash foi desenvolvido para computadores que usam mouse, não para telas sensíveis que usam dedos. Por exemplo, muitos sites em Flash dependem do “rollover”, que abrem menus ou outros elementos quando a seta do mouse passa sobre um local específico. A interface revolucionária multitoque da Apple não utiliza um mouse, e não há conceito de rollover (rolamento). A maioria dos sites Flash precisará ser reescrita para suportar aparelhos baseados em tecnologia touch. Se os desenvolvedores precisam reescrever seus sites Flash, por que não usar tecnologias modernas como HTML5, CSS e JavaScript?

Bom, mas voltando ao HTML5… Há muitas features maravilhosas além de canvas e animações. Vou citar algumas:

Infelizmente não existe um momento “o HTML5 foi lançado e todos podem utilizá-lo à vontade”, mas algumas dessas features já podemos aplicar mesmo com os browsers mais antigos não dando suporte, pois não sofrerão impacto caso a funcionalidade não exista. Por exemplo: podemos definir um campo do tipo e-mail e quando ele não tiver suporte simplesmente assumirá o tipo texto.

Caso você seja desenvolvedor (ou não) e queira queira começar se aprofundar logo, segue a dica: http://diveintohtml5.org/

O HTML5 com suas diversas novas features, juntamente com o CSS3, obviamente vai dar uma alavancada no client-side dando espaço para novas profissões. Imaginando uns anos pra frente acredito que no client-side teremos programadores só de javascript (já existe hoje), programadores só de HTML (profissionais com foco em conteúdo e semântica), programadores CSS (quem sabe os próprios designers), animadores de CSS (Os animadores de flash de hoje); e também as muitas outras profissões especializadas que já surgiram como profissionais de SEO, acessibilidade, performance, entre outras.

Espero que tenham gostado do Post. Deixem suas opiniões nos comentários e vamos trocar experiências.